11 de fevereiro de 2017

As Presas Não estão ABANDONADAS!


Na manhã deste sábado (11) o grupo UNP (Universal nos Presídios), esteve na penitenciária feminina em Franco da Rocha, realizando o trabalho de evangelização com entrega de 300 bíblias edição especial do Templo do Salomão.



O Bispo Eduardo Guilherme (Foto) realizou uma oração especial pelas detentas dos raios 6 e 8 e ministrou o perdão de Deus em suas vidas.

Conheça o novo responsável pela UNP Brasil, acesse: BP Eduardo Guilherme.



O bispo falou sobre a passagem bíblica de Lucas 23:42 onde Jesus, antes de ser crucificado, perdoou um ladrão na cruz, que foi salvo. Deixando evidente que Ele não olha para o passado das pessoas, mas dá uma nova vida aos que se entregam a Ele.
"E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino.
E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso".



Esteve presente também a Missionária Luciene (Responsável pelo Grupo UNP Feminino Brasil) e na oportunidade a mesma fez orações e deu uma palavra de fé a todas as presentes.

Conheça mais sobre o UNP Feminino Brasil, acesse: UNP FEMININO BRASIL

Mais fotos do evento:


8 comentários :

  1. Trabalho abençoado e com certeza surtirá o efeito desejado almas serão ganhas para o reino de DEUS

    ResponderExcluir
  2. Esse é o trabalho que jesus quer que façamos resgatar almas perdidas sofridas e isso que a UNP ( universal nos presídios ) está fazendo !!! Arrebentou

    ResponderExcluir
  3. Trabalho de ressocialização fundamental!! Parabéns, Igreja Universal.

    ResponderExcluir
  4. Trabalho de ressocialização fundamental!! Parabéns, Igreja Universal.

    ResponderExcluir
  5. Trabalho de ressocialização importantíssimo.
    Parabéns Igreja Universal!

    ResponderExcluir
  6. Trabalho de ressocialização importantíssimo.
    Parabéns Igreja Universal!

    ResponderExcluir
  7. Arrebentou, vamos tirar do abandono todas estas almas do Brasil e do mundo!

    ResponderExcluir
  8. Missionária sou eu a Katia hoje tem uma semana que sai da cadeia

    ResponderExcluir

Conte-nos, o que achou da matéria?